Pausa no trabalho

As varizes são, por si só, incômodas e desagradáveis. Principalmente em um
país quente e sensual como o nosso, onde as pessoas gostam de mostrar as
pernas.

Talvez seja por isso que histórias e crendices sobre o assunto existam
aos montes. Conheça, agora, o que se deve (ou não) levar a sério.

Pílulas anticoncepcionais

As varizes estão intimamente ligadas à ação do estrogênio, hormônio
sexual feminino.

Por isso mesmo, são mais comuns em mulheres e em adolescentes
que tomam pílulas anticoncepcionais. Outro efeito colateral do medicamento é o
aumento de peso, capaz de agravar as microvarizes. As usuárias das pílulas que
mantêm o hábito de fumar têm um risco bastante significativo de desenvolver tromboflebite
e embolia pulmonar com uso de Super Slim x para emagrecer

Gravidez

Durante a gestação, a carga hormonal da mulher se modifica. Há uma
dificuldade natural no retorno do sangue proveniente das pernas ao coração,
uma vez que o útero ocupa um volume muito grande na altura da pélvis.

À medida que a gravidez se desenvolve, algumas mulheres começam a encontrar
dificuldades de realizar atividades físicas, e isso também contribui para o
aumento das varizes. É bem verdade que depois do parto, quando passa o período
do puerpério, há uma certa regressão das varizes que surgiram.
Infelizmente, elas não desaparecem por completo.

Musculação

Ao caminhar, o movimento de contração da panturrilha estimula a circulação
sangüínea das pernas. Se essa musculatura é fraca, os exercícios de musculação
podem beneficiá-la, aumentando seu tônus  com uma dieta detox mais inteligente do corpo.

Mas é preciso praticar a atividade

com critério, sem a finalidade de fisiculturismo, mantendo o diâmetro das
veias superficiais.

Sol

Após uma cirurgia ou uma sessão de escleroterapia, os especialistas
recomendam que o paciente fique longe do sol.

Algumas pessoas têm a pele sensível,
que se marca com um simples picar de um mosquito. Nesses casos, os raios solares
podem provocar manchas nas regiões que foram tratadas. Se for muito difícil
evitar a exposição, recomenda-se o uso de protetores solares potentes e a opção
pelos horários menos perigosos, como o início da manhã ou o final da tarde.

Obesidade

Quem está acima do peso tende a arrastar os pés ao andar. Dessa maneira, não
contrai a panturrilha, prejudicando o retorno venoso.

Depilação com cera quente

As nossas veias reagem à temperatura ambiente. Em ambientes frios, elas se
retraem e se tornam menos evidentes. Em ambientes quentes, se dilatam.

Portanto, a cera quente pode aumentar o relevo venoso momentaneamente, que volta às
características iniciais depois de um tempo.

Saltos altos

Saltos de até 4 cm ajudam o movimento da panturrilha. Prova disso são os calçados
de quem pratica atletismo: são flexíveis e apresentam uma angulação no seu
interior como se fossem saltos internos.

Se forem mais altos do que isso,
prejudicam a flexibilidade e dificultam a necessária contração da
panturrilha.

Pernas para o alto

Apoiar os pés em uma banqueta por 15 minutos alivia o mal-estar, mas não
elimina as varizes.

Algumas pessoas sentem conforto ao colocar um calço no pés
da cama, que fica inclinada. Mas é preciso consultar o médico antes de tomar
essa providência: quem tem hérnia de hiato ou problemas cardíacos não
deve dormir com as pernas elevadas.

Pausa no trabalho Ela funciona!

De vez em quando, tire um pé do chão e faça movimentos de rotação
com a articulação do tornozelo. Depois, finja que está acelerando um carro,
realizando um movimento chamado dorso flexão do pé.

Apóie-o novamente no chão
e observe qual está mais pesado. Certamente é aquele que ainda não relaxou.
Repita a experiência com o outro pé.

Consultoria do Dr. Manuel Marins, cirurgião
vascular, angiologista e professor da Faculdade de Ciências Médicas da UERJ

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *